FOTOTERAPIA LED

Os tratamentos da Fisioglam para estas afeções compõem-se da associação da Fototerapia LED (Light Emitting Diodes) a Princípios Ativos dermatologicamente testados e naturais que asseguram resultados sem efeitos secundários.

A LED converte energia elétrica em luz. A energia emitida é absorvida por fotorrecetores, componentes intracelulares que absorvem a luz e são responsáveis pelos efeitos fotoquímicos que geram respostas terapêuticas. Os fotorreceptores estão localizados dentro das mitocôndrias e nas membranas plasmáticas, estimulando processos intracelulares. A absorção da energia gera aumento da atividade enzimática, que medeia o transporte de eletrões, gera uma cascata de eventos que alteram a sinalização intracelular e altera fatores de transcrição relacionados com a proliferação celular, reparação e regeneração dos tecidos.
Promove efeitos terapêuticos, atuando na redução de células inflamatórias, aumento na proliferação fibroblástica e síntese de colágeno, estimulando a angiogenese e a formação de tecido de granulação.
A fototerapia LED favorece a cicatrização dos tecidos, induzindo a redução do dano oxidativo, os mecanismos envolvidos na dificuldade de cicatrização de feridas parecem estar relacionados com o aumento do stress oxidativo, pois estes prejudicam a reparação do tecido.
Desta maneira, a fotobiomodulação atua induzindo reações fotoquímicas intracelulares, que modificam o stress oxidativo da célula favorecendo a resposta positiva durante o processo de reparação de lesões, além de estimular a produção de fatores de crescimento em células lesadas.
A fototerapia LED além de favorecer o reparação dos tecidos, parece evitar e minimizar o desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides.
Os efeitos da luz LED na cicatrização de feridas são o favorecimento e aumento da proliferação celular, estimulando a circulação local, contribuindo para melhorar a produção e deposição de fibras de colágeno, consequentemente melhorando a estética da cicatriz, reduzindo o sintoma de dor e estimulando a vascularização local.
O tratamento de vítimas de queimadura é desafiador tanto pela gravidade da própria lesão quanto pelas complicações que podem ocorrer durante o processo de cicatrização, que tende a acontecer de forma anárquica e com grande potencial para sequelas. Estas podem acarretar graves incapacidades funcionais e estéticas a longo prazo como o desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas, queloides e contraturas de tecidos moles e/ou articulares.
A reparação dos tecidos envolve processos complexos associados a fatores que podem acarretar dificuldades na cicatrização e resultar em disfunções e sequelas importantes, impactando funcionalmente a vida das pessoas. A fisioterapia Dermatofuncional atua no tratamento de cicatrizes pós-queimadura, utilizando técnicas para acelerar o processo cicatricial e recuperação funcional adequada do tecido lesado.
A LED tem sido descrita como uma possibilidade terapêutica valiosa para a fisioterapia com o intuito de reduzir complicações funcionais e estéticas em processos cicatriciais, incluindo os indivíduos vítimas de queimaduras.
Na psoaríase, os resultados clínicos demonstram que a luz azul é eficiente para a modulação da auto-agressão tecidual das lesões psoriáticas, e possivelmente com a vantagem de não induzir danos ao DNA e RNA, já que não se trata de uma radiação ionizante.
Não há relatos na literatura de efeitos negativos na utilização dos diodos emissores de luz, bem como não foram encontradas contraindicações para a luz LED.

Veja aqui o nosso catálogo completo